Pietà

vincent-willem-van-gogh-pieta-(nach-delacroix)-03900

Na próxima ocasião em que alguém se achegar a mim, cheio de boas intenções, e disser que tem o sonho de ir para África, promover o bem, ou coisa do tipo, minha resposta será o endereço (nem precisa cruzar o Atlântico) e uma lista com nome para essas pessoas colocarem em prática toda sua Pietà.

Cansei desses!

Esse tipo de coisa tem me soado mais como um movimento de fuga (do tipo, estou cheio da minha tediosa vida e quero uma aventura exótica), uma oportunidade de realizar uma viagem internacional na faixa (de graça), ou o simples exercício de higienização de consciência através da caridade.

Esse é o tipo de caridade Fast food, rápida e conveniente. O arranjo geralmente é o mesmo: vai-se para um país distante, ajudar algum povo miserável, marcado por alguma desgraça, fica-se ali por um tempo e, quando já se cumpriu a cota de caridade para uma vida, volta-se para mesma vida ordinária, bem distante daquela realidade difícil de encarar.

Esse é o tipo de pessoa que sonha mudar o mundo, mas não consegue ser responsável nem com a arrumação da cama.

Talvez mudar o mundo seja mesmo uma utopia. Mas uma coisa é certa, se há uma saída para esse mundo caído em que nos arrastamos, o compromisso de fazer o melhor com o que está a nossa volta, com certeza, é um dos prefácios da mudança concreta.

Tá certo que é mesmo difícil encarar o mau de frente, todos os dias, e perceber esse hiato que existe entre o mundo hedonista do cinema e da publicidade e o mundo “real”, doente e sujo que se oculta por trás dessa cortina de purpurina. Mas a mágica decisão de não enxergar isso não muda os fatos.

A verdade vos libertarás.
(João 8: 32)

Jesus estava mesmo certo quando afirmou isso. Ou há outro caminho para mudança que se desvie do reconhecimento dos erros e da correção de rotas?

Quer produzir um mundo melhor? Comece sendo um filho, aluno, funcionário, cidadão melhor. Gostaria de promover a caridade? Quer lugar melhor do que o nosso país, nossa vizinhança, para começar?

E se, de repente, lhe surgir a pergunta:

– Quando começar?

Minha sugestão então seria:

– Que tal hoje?

Comece se questionando que tipo de pessoa você tem sido para seus familiares, amigos, companheiros de trabalho… Feito isso, parta para a etapa seguinte e vá tapando os buracos que você deixou pelo caminho. E se lhe restar ainda a dúvida de como fazer isso, aqui vai minha derradeira sugestão: O pedido de perdão é o prólogo do processo de mudança, e o compromisso de insistir neste movimento (em direção ao Bem) é o que certifica nossa transformação.

É duro, mas não alcançaremos um mundo melhor sem nos transformarmos em pessoas melhores.

Emerson De Oliveira

Advertisements
Com as etiquetas , , , , , , , ,

One thought on “Pietà

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: